quinta-feira, 15 de junho de 2017

O início de um novo desafio! (Retirado do blog "Sozinha na Alemanha" - publicado em 27/06/13)

Gosto de desafios! Adoro viajar! Conhecer a Europa sempre foi um sonho para mim, e resolvi transformá-lo em realidade. Depois de uma excursão em 1998, quando pude visitar de maneira muito rápida Portugal, Espanha, França e Itália, decidi que queria conhecer mais e de maneira mais completa cada país. Em 2010, após estudar italiano por três anos, embarquei rumo à Florença para um curso de língua e cultura de quatro semanas. Foi maravilhoso!!! Em conhecendoaitaliasozinha.blogspot.com.br descreví um pouco desta experiência inesquecível. Achei a fórmula perfeita para mim. Aprender um novo idioma e viver um pouco no país escolhido, conhecendo sobre sua história e cultura. A Itália foi escolhida pelo idioma, que já dominava um pouco, e também pelas várias cidades que sonhava visitar.  Ir à Alemanha é um projeto totalmente diferente. Tanto que desta vez começo este blog realmente com todos os preparativos para a viagem, que ainda não tem data para acontecer. Apesar de querer conhecer o país, cenário de importantes episódios da História mundial, este nunca foi um destino preferido. Como indica o título deste blog, a escolha foi pelo desafio. O alemão sempre foi para mim, e acredito que para muitos também, um verdadeiro quebra-cabeça! Em 2011 quis aprender um novo idioma e fiquei em dúvida entre alguns que já tinha começado, como inglês, francês e espanhol. Até que veio a idéia: e porque não uma língua da qual eu não tivesse a mínima noção, que eu começasse do zero? Daí fiz o teste para a Casa de Cultura Alemã e passei. Aos poucos o quebra-cabeça passou a fazer algum sentido, mas ainda é um tremendo desafio. Atualmente estou no terceiro semestre, ou seja tenho apenas uma pequena noção do idioma. Sinto muita dificuldade, mas não vou desistir. Enquanto isso, vou procurando traçar o itinerário da viagem, escolher uma cidade para fazer um curso, fazer um levantamento dos custos e escolher a data. Para quem acompanha estes registros espero contribuir com dicas, informações e de alguma maneira incentivar a viver algo parecido!






Minha inspiração



Aliado a todos os atrativos da Alemanha, que vejo em minhas pesquisas, um outro ponto me leva a conhecer este país. Meus pais fizeram várias viagens para lá onde tinham amigos e parceiros de negócios e pra mim seria uma oportunidade para ter uma pequena noção do que eles viveram lá, quando as viagens internacionais ainda eram tão difíceis e imaginar como eles conseguiram se entender sem falar alemão e somente um pouco de inglês. Considero meu pai um guerreiro, pois natural de uma cidade do interior do Ceará, desde muito jovem foi à luta e nunca se intimidou com grandes desafios. Ele é o meu exemplo que, quando queremos e nos esforçamos, nós conseguimos realizar os sonhos mais incríveis.


meus pais em viagem à Hamburgo






A escolha da cidade (Publicado em 09/07/13)


Pode parecer complicado escolher uma cidade onde ficar em um país que não conhecemos, mas comigo funciona mais ou menos assim: 1) vejo quais são os cursos no país de destino, direcionados para estrangeiros, que eu já tenha alguma referência; 2) vejo qual(is) cidade(s) oferece(m) o curso em questão; 3) se for em uma única cidade não tenho mais que escolher, se for em mais de uma cidade, como é o caso do Instituto Goethe, passo a fazer pesquisas sobre cada local, para ver com qual mais me identifico e se há diferenças acentuadas dos custos.

DD-canaletto-blick.jpg

Das treze cidades da Alemanha que oferecem curso no Instituto, Dresden foi desde o início a minha preferida. Descrita como "a Florença do Elba" (http://www.dw.de/dresden-a-floren%C3%A7a-do-elba/a-1501467), Dresden me encantou com seu centro hisórico, suas edificações e monumentos. O fato de estar localizada às margens do Elba e na parte central do país, próxima ainda à República Tcheca e Polônia foi outro grande chamariz
.




No programa cultural do curso pude ter uma pequena idéia do que a cidade oferece: http://www.goethe.de/ins/de/pro/kuf/KuF-Programm-Dresden.pdf.

Preparativos (Publicado em 24/06/15)


Somente agora, depois de dois anos, estou escrevendo para registrar os preparativos para minha viagem. Para dar início a realização deste sonho, em 13/01/15 protocolizei o meu pedido de Licença Capacitação no trabalho. Escolhi a cidade de Dresden e o período de setembro (30 dias) para fazer o curso. Devido à burocracia, tive que refazer o pedido em 02/03/15, desta vez para a cidade de Mannheim. Essa foi uma escolha feita na pressa, não tinha referência nenhuma dessa cidade, mas as datas do curso se encaixavam no que eu precisava. Somente no dia 07/05 todo o trâmite tinha terminado e a licença concedida. Comecei a pensar nas questões práticas: comprar passagens, ver hospedagens, roteiro, etc
No dia de meu aniversário (26/05), consegui encontrar passagens num preço mais acessível saindo de Guarullhos!! Foi um ótimo presente! Entrei em contato com o instituto para tratar de minha hospedagem no período e enviei-lhes uma lista de prioridades: 1) apto para uma pessoa, a 10 min caminhada do instituto, 2)apto para 2 pessoas, a 10 min caminhada do instituto, 3) apto para 1 pessoa a 10 min de transporte publico do instituto, 4) apto divido com outros 4 estudantes a 10 min de transporte publico do instituto. Até a presente data não me responderam.
Fazer o roteiro é uma coisa que demanda uma atenção especial. Eu queria conhecer bem a Alemanha e aproveitar para conhecer alguns países próximos, sem muito corre-corre. Pensei em Suiça, Austria, República Tcheca, Holanda e Bélgica. Daí passava horas no computador pesquisando sobre estes lugares.
Afinal, as coisas se encaixam de uma maneira surpreendente. Foi assim que aconteceu para eu definir o roteiro. Bem, eu sempre gostei de correr e depois que fiz minha cirurgia do coração tentei manter essa prática, embora de maneira mais leve. Eu tinha visto que a Maratona de Berlim aconteceria em 27/10/15, exatamente após o término do meu curso em Mannheim. Fiquei super interessada em participar, mesmo que fosse apenas um trecho, mas ví que as inscrições já haviam terminado no ano passado! Então fiz uma pesquisa sobre corridas na Europa e verifiquei que estavam agendadas corridas de 5k em Praga e Bruxelas, lugares que eu planejava conhecer. Então foi só unir o útil ao agradável. Inscrevi-me para as duas corridas, a de Praga em 05/09 e de Bruxelas em 04/10!!!! Depois disso ficou mais fácil fazer o planejamento da viagem: Chegarei em Frankfurt no dia 28/08, onde ficarei por uns 3 dias, e depois vou para Mannheim. O curso se inicia em 31/08 e termina em 26/09. No primeiro fim de semana, vou para Praga, participar da corrida e conhecer um pouco da cidade. No restante do mês de setembro até o final do curso fico conhecendo os arredores da região. Terminando o curso vou para Dresden, pois não posso deixar de conhecer a cidade que tanto sonhei. De lá vou para Berlim até o dia 03/10, quando então irei para Bruxelas, onde participarei da segunda corrida. Bugres e Antuérpia são cidades que também quero conhecer antes de ir para Amsterdã, ponto final da viagem antes de voltar para Fortaleza, saindo de Frankfurt.

Hoje faltam praticamente dois meses para a viagem e graças a Deus tudo está caminhando bem. Já tenho as passagens, fiz as reservas de hotel e contratei seguro de viagem. Agora devo voltar a estudar alemão até o dia da viagem. Estudei até o sexto semestre na Casa de Cultura da UFC no ano passado. Nesse ano não pude continuar e fiquei estudando on-line no site Deutsche Welle. Um curso muito bom, com exercícios e muito áudio.

Pra quem gosta de correr (Publicado em 28/06/15)

 Ví no site “correr pelo mundo” um calendário de corridas na Europa, daí escolhí  a adidas Women's Race 5 km (Praga - http://www.sport.be/brusselsmarathon/2015/en/info/) Belfius Brussels Marathon & Half Marathon (5k) (http://www.sport.be/brusselsmarathon/2015/en/info/).  Em Praga a corrida, só de mulheres, será à noite. Acho que vai ser tudo correr em um cenário tão lindo. A inscrição de Praga custou 52,28 euros, incluindo camiseta e medalha com o nome gravado, na Bélgica, 30 euros com camiseta (você pode pagar só a inscrição, sem camiseta, daí sai 25 e 15, respectivamente. Veja o vídeo da corrida de Praga em 2014: 
https://www.youtube.com/watch?list=PL6MwaqD4nLBJEgeHRyHyRSTkTcfR3mCI_&v=U7BQ7HT3ZL4

Hospedagem: Nas duas cidades reservei hospedagem em albergues, em dormitório de 6-8 camas, só de mulheres. Miss Sophie’s  Hostel em Praga e Meininger em Bruxelas. Estou numa super expectativa, pois nunca me hospedei em albergues! Mas, considerando a diferença de tarifas para hotel, acho que vale a pena experimentar. Pesquisei bastante, lí as avaliações, ví as fotos e decidí! Acho que no final vai ser legal. Reservei também em Amsterdam hospedagem no Meininger. Nas outras cidades, Frankfurt, Dresden e Berlim, reservei no Ibis, que já estou acostumada aqui no Brasil e tenho confiança na marca. 



Ùltima Semana (Postado em 23/08/15)


Faltam apenas 4 dias para minha viagem! Até agora ainda não recebi orientações sobre minha hospedagem em Mannheim! Estou super ansiosa!! Para garantir uma chegada mais tranquila, fiz uma reserva em um hotel próximo à estação de trem. Fiz uma pequena alteração no roteiro inicial, para melhor adequar às distâncias. Após o curso irei para Hamburgo, ao invés de ir à Dresden! Já comprei algumas passagens pela Eurorail, pois verifiquei que as melhores tarifas já estavam acabando, inclusive para outubro.  Para chegar em Bruxelas, achei melhor comprar uma passagem aérea Berlim-Colonia e depois um trem até Bruxelas. Não tinham mais vagas disponíveis de Berlim para Bruxelas!!!! A mala está pronta, agora é só esperar mais um pouco...Ah, não consegui estudar alemão nesse tempo! Só um pouco. O instituto mandou um e-mail com um link para que eu fizesse um teste online, mas não consegui acessar, então provavelmente farei lá, no primeiro dia.



Momentos (Publicado em 11/10/2015)

01/09/15

Ich bin hier!!
Cheguei aqui na Alemanha há uma semana, numa sexta-feira. A chegada em Frankfurt foi super tranquila. Nem em meus pensamentos mais otimistas imaginava que seria como aconteceu. Da saída do avião até a saída do aeroporto é tudo muito bem sinalizado e foi super rápida a entrega da bagagem! Peguei logo um táxi e fui pro Hotel. Fiz o check-in, guardei a bagagem e fui até a agência para fazer o city tour. Não gostei! Meu objetivo era ver os pontos turísticos mais interessantes e sua localização para depois voltar, mas não consegui. Principalmente  porque estava cansada e com fome e para melhor ver os monumentos eu teria que descer nas paradas, o que não fiz.
Felizmente o hotel que fiquei era muito bem localizado e depois pude conhecer a cidade a pé. Estava acontecendo o Museumsuferfest e durante todo o dia e a noite tinha muita gente! Achei muito bom, mas pra quem não gosta de multidão, aconselho a não ir durante a noite, pois é difícil até se locomover. Frankfurt me surpreendeu positivamente! Foi fácil e tranquilo andar na cidade sozinha. Adorei o pôr do sol nas pontes e o movimento dos turistas. O Zeil, centro comercial, é cheio de ótimas lojas, cafés, restaurantes localizados em rua exclusiva para pedestres. No domingo fui cedo à Colônia de trem. Nossa, que catedral linda! Tive a sorte de chegar na hora que estava iniciando uma missa e assisti do começo ao fim. Foi uma das experiências mais emocionantes de minha vida. Todo o cerimonial religioso, o cheiro do incenso, a música do órgão, o coral, tudo foi lindo! Adorei também o passeio na beira do rio com restaurantes, lojas e muita gente passeando, ou só relaxando no gramado.








08/09/15




Mannheim

Agora estou escrevendo de Mannheim. Nunca vivi tanta coisa incrível em uma única semana. A chegada aqui também foi tranquila. Da estação fui direto para o instituto para receber as chaves do apartamento, orientações e fazer o teste. Gostei muito da organização e simpatia de todos. No meio da tarde pude ir guardar minha mala e sair para comprar as coisas pra deixar no ap: comida, água, etc...logo sai pra conhecer um pouco da cidade e na semana providenciei o cartão para as refeições no restaurante da universidade e o ticket para o transporte público. Este último é muito bom, pois me possibilita viajar aqui e pelas cidades vizinhas durante um mês de ônibus, tram ou trem por um pouco cerca de 56 euros.
Mannheim é uma cidade muito agradável, com ruas largas, arborizadas e muito plana. Ideal para andar de bike, com ciclofaixas por toda a cidade. O clima muda um pouco durante o dia e a tendência agora é esfriar.
Consegui me matricular no nível A2.1. Achei bom, pois assim terei uma base melhor do alemão. Nossa turma é composta de alunos da África, Ásia e leste europeu. Todos muito simpáticos e dispostos a aprender.




Praga



No primeiro fim de semana que estava em Mannheim fui conhecer Praga. Fui na sexta, depois da aula, e voltei domingo à noite. Fui de trem até Frankfurt e lá peguei o voo que durou uma hora. Essa foi uma experiência inesquecível! Praga é uma cidade lindissima, que me lembrou muito Florença devido à quantidade de prédios, monumentos e pontes lindos ! Além de tudo isso ainda participei da corrida Adidas Women's 5k. Isso foi pra mim muito especial! Jamais esquecerei a emoção que senti! A corrida foi a noite e teve uma mega estrutura. Muito bem organizada e um percurso muito bom. Fiquei hospedada em um hostel pela primeira vez, em um dormitório para mulheres com 6 camas. Bem localizado, limpo, seguro e uma equipe muito simpática. Me locomovi pela cidade a pé e de metrô. Tive uma certa dificuldade para comprar o ticket pois a caixa não falava inglês e eu também não vi nenhuma instrução que pudesse me servir. Mas, no final deu tudo certo. Errei de estação algumas vezes, mas logo percebi o erro ou alguém me ajudava. No final fui de metrô para o aeroporto, tendo que trocar de linha e pegar um ônibus integrado. Um verdadeiro aprendizado.





10/09/15

Heidelberg



Ontem, após a aula, fui conhecer Heidelberg. Eu tinha a opção de ir de tram, ônibus ou trem. Resolvi ir de tram e foi uma péssima escolha! Levei mais de uma hora para chegar e foi um pouco "tensa" a viagem. No meio do caminho escutei um aviso no tram e todos desceram. Fiquei sem saber o porque, mas desci também. Era um lugar meio ermo e sem orientações. Resolvi perguntar a uma senhora e entendi que eu deveria pegar um ônibus. Fui andando até uma parada próxima e vi na placa que o destino era Heidelberg HBF. Embarquei no próximo ônibus e de novo tivemos que parar no meio do caminho para retornar ao tram e assim chegar ao destino. Ufa!! Cheguei desanimada e com vontade de voltar na mesma hora. Mas, respirei fundo e fui até a central de informações ao turista. Peguei um mapa e a atendente me mostrou o que eu deveria conhecer e como chegar lá. Resolvi parar próximo à ponte da cidade velha. Caminhei um pouco pelas lojinhas, tirei fotos e resolvi subir até o castelo. No caminho eu pensei em desistir pois tava com medo do esforço, uma vez que era uma subida um pouco íngreme. Enfim, eu não queria ficar arrependida por não ver a prinicipal atração turística do lugar. Então reuni forças e fui. Valeu a pena, pois além de muito interessante o castelo, o lugar proporciona uma vista completa da cidade. No caminho ainda pude ver lindos palacetes e ficava imaginando que tipo de pessoas moraravam ali, naquele lugar tão privilegiado. Depois fui até a ponte. Outro cartão postal muito lindo. Me dei por satisfeita com o que consegui ver durante a tarde e voltei pra Mannheim, desta vez de trem numa viagem de meia hora.

15/09/15




Luisenpark

Sábado pela manhã fui ao Luisenpark, um enorme parque aqui em Mannheim! Ele tem uma grande área com acesso gratuito e outra paga (6 euros). Fui na parte paga, onde tem uma torre com visão de toda a cidade, um jardim chinês, lago e outras atrações. Adorei! Em vários lugares tem espreguiçadeiras para você descansar, contemplar a natureza e até ouvir música. O parque é muito grande, não consegui ver tudo o que ele oferece. É uma ótima opção para relaxar.


Worms



No domingo acordei tarde e já perto do meio dia fui à Worms. Chegando lá escolhi uma direção e comecei a andar. Graças a Deus foi a direção certa. Na verdade, depois fui ver que tudo é muito perto. Cheguei ao Dom sem dificuldades. Nossa que igreja linda! Acabei encontrando o centro de informações atrás do Dom (catedral de São Pedro) e aí peguei o mapa da cidade com as principais atrações turísticas. Fui na Rathaus, museu, igreja de St. Martin, Magnuskirche, Heylshofpark e Dreifaltigkeitkirsche. Não conheci o cemitério judeu pois tava querendo ainda ir até a cidade de Mainz e já estava cansada. Me arrependi, pois acabei sem conhecer a cidade direito e desisti de ir a Mainz. Apesar de ser possível conhecer duas cidades no mesmo dia, não acho muito proveitoso. Pelo menos não como faço, andando por toda a cidade.




20/09/15

Freiburg

Fui à Freiburg no sábado pela manhã. Um pouco mais de uma hora no ICE. O tempo está chuvoso lá, mas não a ponto de impedir de aproveitar a cidade. Da estação foi possível alcançar o centro a pé em poucos minutos. Comecei vendo algumas lojas pelo caminho e cheguei na Rathaus onde tem a central de informações ao turista. A cidade estava lotada de turistas e com muitos artistas de rua se apresentando. Fui andando seguindo o fluxo das pessoas sem me preocupar muito com as atrações turísticas. Mas, como não podia deixar de ser fui à Catedral. Lindíssima!! No seu entorno tinha um mercado de produtos da região. Flores, artesanato em madeira, produtos de mel, xaropes, temperos e um suco de uva que experimentei e gostei. Almocei no Markthalle. Achei o lugar super legal. Vários tipos de comida: indiana, chinesa, brasileira...não consegui resistir ao bobó de camarão. Fiquei na cidade aproximadamente três horas. Não conheci tudo, mas foi o suficiente pra gostar e querer talvez voltar um dia.


Baden-Baden

Voltando pra Mannheim resolvi parar em Baden-Baden pra conhecer a cidade que meus país falavam. Infelizmente não pude conhecer. Desta vez eu vacilei! Quando cheguei eu vi vários táxis e uma parada de ônibus ao lado da estação. Este era um sinal que o centro deveria ser afastado. Tentei comprar um bilhete de ônibus na máquina e não consegui. Resolvi ir andando e pedir informações no caminho, pois na estação não tinha central de informações ao turista. Essa foi uma péssima escolha, pois já estava muito cansada da estadia em Freiburg. No final andei em uma direção uma hora e não consegui achar o centro. Voltei pra estação e no caminho percebi que estava tendo uma festa na cidade e muitos vestiam trajes típicos. Fiquei chateada por não ter assistido! Fiz exatamente o que disse que não era proveitoso: tentar conhecer duas cidades no mesmo dia!




Fim do Curso (Publicado em 13/10/15)

O mês passou rápido demais! Ao final das quatro semanas ví que precisaria de muito mais tempo para que realmente eu conseguisse evoluir de maneira satisfatória no alemão. Mesmo assim, me inscrevi para a prova do certificado A2 e consegui passar. A avaliação que faço do curso é muito positiva. Ótima estrutura,boa metodologia, bons professores e apoio ao aluno. Achei que a escolha da cidade foi excelente, pois existem muitos estudantes, não é muito turística (importante para manter o foco nos estudos), o serviço de transporte é bom e possui ótimos parques. Uma cidade muito tranquila!



Comecei então a segunda etapa da viagem, férias!!!Seguindo o roteiro, segui para Hamburgo de trem. Depois de um mês na tranquilidade de Mannheim, a chegada em Hamburgo foi um choque! Estação central enorme e muuuuuuito movimentada...O hostel reservado era vizinho à estação, o que foi um alívio. Chequei na sexta-feira e fiquei até segunda-feira. Foi o suficiente pra conhecer muita coisa. e sobrou até tempo pra fazer uma corridinha em torno do lago...rsrsrsrs!Massa! Hamburgo foi eleita por mim a melhor cidade comparando com Frankfurt e Berlin. Adorei a região do porto, os antigos armazéns e as ruas com ótimas lojas. O movimento da cidade me fez lembrar Nova Iorque. 







Berlim (Publicado em 14/10/15)

Reservei os últimos cinco dias na Alemanha para conhecer Berlim (28/09 - 03/10). Tive sorte, pois coincidiu com as comemorações de 25 anos da reunificação da Alemanha, após a queda do muro. É impossível não criarmos uma expectativa quando vamos conhecer uma cidade e a minha era bem diferente da cidade que encontrei. Talvez o fato de ter conhecido Hamburgo e Frankfurt antes tenham influenciado, mas a verdade é que me decepcionei um pouco à primeira vista. Achei a cidade "fria" no primeiro dia. Esclarecendo no entanto que pouco tinha visto, apenas a área do Portão de Brandemburgo, Reichstag e Potsdamer Platz. No dia seguinte foi diferente. Conheci o Dom, os museus, Alexanderplatz e o que mais gostei: o Nikolaiviertel. Adorei os restaurantes e o movimento dos barcos no rio Spree!



Dresden era o meu destino principal quando eu sonhava em ir à Alemanha e não me perdoaria se não fosse lá. Na quinta-feira, dia 01/10, fui realizar meu sonho. Muito linda!!




O último dia foi especial! Embora não estivesse no meu roteiro de viagem, após ver algumas fotos de Potsdam, resolvi ir lá conferir. Afinal, sendo tão próximo de Berlin seria um vacilo não aproveitar a oportunidade. Confesso que nunca tinha me despertado a curiosidade de conhecer esta cidade, nenhuma referência eu tinha. Adorei a cidade! O Park Sanssouci é grandioso e lindo. Outros pontos turísticos que amei foi o portão de Brandeburgo e suas imediações, o Hollandisches Viertel, o mercado, a igreja de São Nicolau entre outros.




A última noite foi de comemoração e em grande estilo!!











Além da Itália

Se esta é a primeira postagem que você lê nesse blog, vai estranhar o fato dela estar inserida num blog que se intitula “Conhecendo a Italia Sozinha”. Devo uma explicação...
 Iniciei o blog de maneira errada, tenho que admitir. Ao invés de começar com os preparativos da viagem e prosseguir com o relato simultâneo de minhas experiências, comecei-o após o fim da viagem, já de volta em Fortaleza. Quis contar a todos o que viví e mostrar aqueles lugares lindos que tanta felicidade me proporcionou.
Mas, acontece que aquela foi uma experiência contagiante e logo me vi envolvida com a viagem da Alemanha que também quis compartilhar como todos e aí fiz outro blog.
Agora, sete anos depois daquela viagem à Itália, resolvi inserir aqui relatos e imagens de outras viagens, inclusive em família (para não acharem que estou sozinha no mundo....rsrsrsrs). Resolvi também unir as postagens dos dois blogs em um só, porém o título permanece o mesmo. Até porque ainda falta boa parte da Itália pra conhecer e, muito provavelmente será sozinha. Então onde se lê “conhecendo a Itália sozinha” pode-se ler: “conhecendo o mundo sozinha” rsrsrs.

Explicação feita, transcrevo a seguir as postagens da viagem à Alemanha, com a data em que postei anteriormente.

domingo, 23 de abril de 2017

Uma aventura inesquecível!!!! Conhecendo o Perú sozinha!!!

Perú me surpreendeu! Todos os lugares que conheci foram além da expectativa. A viagem aconteceu entre os dias 13 e 21/10/16. Cheguei em Lima na quinta-feira e fui para o hotel de táxi, espantada com o grande movimento das ruas à meia-noite. Na capital, fiquei hospedada no bairro Miraflores. Com as dicas do aplicativo Google Trips organizei meus passeios para que pudesse conhecer a maior parte das atrações turísticas, se possível a  pé. Achei a cidade limpa, segura e o povo muito educado. Adorei a orla, o Parque Del Amor, o Larcomar e a parte histórica da cidade. O artesanato merece uma atenção especial, muito rico!




 De forma resumida meu roteiro foi assim:
1º dia: Larcomar, caminhada pela orla incluindo Parque del Amor, farol, Barranco pela manhã. À tarde: Miraflores: Prefeitura, Igreja de la Virgen Milagrosa, Parque central(Parque Kennedy) e artesanatos;
2º dia: Plaza San Martin (táxi), Plaza Real, Plaza das Armas, Catedral, Palacio do Arcebispo, Palacio do Governo, Igreja e Convento São Francisco, Igreja São Domingo, Igreja de la Mercedes, Igreja la Recoleta. À tarde: Huaca Pucllana (taxi), Ceviche no Paquetitos.

No domingo, parti cedo para Cusco, chegando lá antes do meio-dia. Fui para o hotel e, após fazer o check-in e deixar a bagagem, fui dar uma volta no mercado vizinho e tirar algumas fotos. No início da tarde fiz um city tour que havia contratado. Visitamos as principais atrações da cidade e ruínas nos arredores.



 A segunda-feira foi muito especial. Muito cedo, por volta de 3:45 da madrugada, foram me buscar no hotel para irmos fazer uma trilha no Cerro Colorado. Fiquei muito apreensiva, pois sabia que era uma longa caminhada, com o agravante da altitude que eu não estava acostumada (sou cardíaca). Porém, a vontade de ir era muito grande e encarei. O ponto de partida era em um local distante quase três horas de van. Fomos a um barracão onde recebemos as instruções e nos serviram um café reforçado. Com pouco tempo de caminhada percebi que não aguentaria fazer todo o percurso de aproximadamente 10 km a pé e aluguei um cavalo com guia. Foram mais ou menos três horas de ida, até a altura de 5.200 metros, e três horas de volta com paisagens lindíssimas!!!! Nos últimos trechos chegou a nevar. Chegamos de volta a Cusco debaixo de chuva, à noite.


O dia seguinte foi reservado para ir à Machu Picchu. A van me pegou às 4:00 e seguimos para Ollantaytambo, onde pegamos o trem para Águas Calientes. De lá fomos de ônibus para M.P. Fizemos um tour guiado e depois fiquei explorando o lugar. Perto de 3:00 da tarde peguei o ônibus de volta. Fez um sol lindo e deu pra tirar ótimas fotos. Adorei o lugar!



Os últimos dois dias foram em Arequipa, conhecida como “a cidade branca”, em razão das construções com o sillar. Amei a cidade. Fiquei em um hotel boutique na Plaza de Armas e pude conhecer quase tudo a pé. Recomendo!


Um novo destino (decidindo num impulso!)

Apesar de que conhecer o Perú, especialmente Machu Picchu, era uma vontade antiga, essa viagem foi decidida num impulso. Minhas férias já estavam marcadas para outubro/2016 e eu pensava em adiar por causa do trabalho, por isso não tinha feito planos para viajar. Mas aí as coisas mudaram... Eu estava no trabalho (em setembro), quando num momento de raiva e decepção, decidi que precisava daquelas férias e, principalmente, tinha que viajar. Corri pro computador e fui procurar passagens baratas para os destinos que tinha interesse no momento: Montevidéu e Perú. Encontrei um bom preço de passagem para Lima e, após me certificar que aquela era uma época boa para ir, não pensei duas vezes. Comprei uma passagem Fortaleza-Lima para o mês seguinte. Na hora não sabia ainda qual a distância pra Machu Picchu e como chegar lá.  Entrei em alguns blogs e no dia seguinte resolví comprar outra passagem Lima-Cusco. Nos dias seguintes procurei me informar tudo o que precisava, o clima, as atrações turísticas, hotéis, etc. Ví algumas matérias sobre Arequipa que me despertaram a vontade de conhecê-la. Na semana seguinte comprei o trecho Cusco-Arequipa. Foi muito interessante como tudo (as datas e horários dos vôos) se encaixou perfeitamente, sem que houvesse um plano. A dúvida que ficou era se eu iria a Machu Picchu sozinha ou com um grupo, através de uma agência de turismo. Novamente os blogs de viagem me ajudaram. Eu já tinha pago a taxa de visita (obrigatória) e já tinha visto os horários e preços dos trens, mas estava insegura para decidir. Pensei até na possibilidade de fazer uma trilha na subida para a cidadela...rsrsrsrsrs. No final, decidi pela prudência e resolvi contratar uma empresa local. Por uma indicação de um blog, entrei em contato através do Whats App com um responsável por uma empresa em Cusco. Isto após ver várias referências e acessar o site da agência. Informei-me sobre os passeios, comparei os preços e decidí! Paguei a metade antecipada e o restante pagaria quando chegasse lá. Pronto! Tudo resolvido, os dias voaram até a minha partida.

sábado, 5 de novembro de 2016

As duas viagens que fiz, combinando estudo e turismo, me proporcionaram um grande aprendizado e me mostrou que não é tão difícil fazer planos de médio prazo. Digo isso porque sempre fui muito impetuosa e imediatista. Costumava dizer que jamais conseguiria fazer planos para realizar algo num tempo superior a seis meses...
O planejamento destas viagens durou em média 3 anos, contando com o aprendizado da língua. Os preparativos da viagem em sí, uns 6 meses, talvez menos. O fato de começar a aprender a língua antes de ir, faz toda a diferença, porque aí já existe uma realização imediata. A partir desse momento, começo a aprender a língua, a cultura, conhecer o país. Geralmente compro um guia turístico do país, com a descrição das regiões, principais centros turísticos, etc, que vão me ajudar a fazer o roteiro. Assim esses preparativos começam a preencher a minha vida. Já começo a me sentir no local. Junto com o país de destino, nessas duas experiências já tinha certo qual o curso iria frequentar, só faltando escolher a cidade e a hospedagem.  Mantenho contato com a coordenação do curso e todas as tratativas são feitas por email. Tudo muito fácil e tranquilo.



Depois dessas viagens à Itália e à Alemanha, verifiquei que se quisermos realmente nos dedicar ao aprendizado do idioma, não devemos ficar em cidades muito turísticas, como foi meu caso em Florença. Em primeiro lugar em razão de ficarmos tentados pelas atrações turísticas e nos dedicarmos mais ao turismo. Em Florença, nunca perdi uma aula, nem sequer cheguei atrasada, mas em compensação, fora do horário de aula, me dedicava apenas a conhecer novos lugares. O problema é que, como a cidade recebe turistas do mundo todo, você acaba tendo muito contato com o inglês. Quando os moradores locais percebem que você é turista, já começam a falar inglês. Já em Mannheim, uma cidade predominantemente de estudantes, foi um pouco diferente. O instituto também tinha uma ótima mediateca, um espaço ótimo para estudar. Assim, consegui focar meu tempo um pouco mais nos estudos. Nos fins de semanas, aí eu viajava pra conhecer as cidades vizinhas.



terça-feira, 13 de outubro de 2015

Viajar é preciso...

"Os vinte motivos pelos quais viajar é preciso" (http://nomadesdigitais.com/20-motivos-pelos-quais-viajar-e-preciso/#) é a tradução perfeita do que penso sobre viagens! Viajar me faz sentir mais viva e embora viajando só, me sinto menos sozinha do  que na minha propria cidade. Minha experiência na Itália foi tão gratificante que resolvi repetir e ousar. Desta vez o destino foi a Alemanha. A ousadia fica por conta do idioma, é lógico, e por isso criei o blog "www.sozinhanaalemanha.blogspot.com".  Depois de três anos de tentativas de aprender a língua, resolvi ir com o pouco que tinha aprendido, com o propósito de melhorar o idioma e conhecer o que eu pudesse do país no período de pouco mais de quarenta dias. Desta vez, ao contrário de Florença que é uma cidade muito turística, escolhi Mannheim, uma cidade tranquila, conhecida como centro da lingua alemã.


sábado, 23 de outubro de 2010

De Florença à Veneza

Em Florença fiquei em um apartamento indicado pelo Instituto Italiano, situado na Via San Gallo, no centro histórico da cidade, dividindo-o com outras duas alunas. Excelente localização e tudo o que podiamos precisar: cozinha completa, maquina de lavar roupa, etc. O horário do curso era de 9:00 às 13:00 e à tarde, geralmente às 17:00, alguma atividade opcional como: filme, palestras, passeios à lugares históricos...os alunos eram separados em salas de acordo com o nível alcançado no teste, aplicado no primeiro dia. Tinha gente de todo o mundo! Nos horários livres geralmente eu saia para conhecer o máximo possível da cidade e ir à Internet matar a saudade de todos aqui de Fortaleza, sempre reservando algum tempo para os estudos em casa. No primeiro fim de semana fui às cidades de Siena e San Giminiano em uma excursão oferecida pelo curso, mas depois percebí que seria mais barato e mais proveitoso viajar por conta propria e aí escolhi algumas cidades para conhecer: Veneza, Assis, Lucca. Através de uma agência de viagem fui à 5 Terre em uma excursão de um dia. Este é um passeio imperdível!!! De Florença partem trens para toda a Itália e é só você chegar na estação e escolher seu destino. Lógico que é bem melhor escolher e estudar antecipadamente seu destino. Ver horário dos trens, distancia e os principais atrativos. Escolhi Assis, Fiesole e Lucca por serem cidades próximas, pequenas e com muito para se ver. Veneza não preciso justificar!!!!! (veja cada cidade nas páginas ao lado)

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Conhecendo Roma a pé


Após uma boa noite de sono, acordei pronta para conhecer Roma. Mapa da cidade, máquina fotográfica, máquina de filmar, Guia da Itália e um pequeno dicionário... a bolsa estava pesada mas a disposição era enorme. Vantagem de viajar sozinha: você faz seu roteiro e segue seu ritmo! Conhecer o idioma do país, pelo menos o básico, é indispensável! Graças a uma excelente localização do hotel - Via Emanuele Filiberto - pude fazer vários roteiros para conhecer o máximo de lugares em 5 dias, de terça a sábado. Talvez se tivesse optado por me deslocar de metrô ou ônibus teria conhecido mais lugares e teria sido menos cansativo, mas nada se compara a andar por Roma, podendo escolher qualquer caminho para seguir. Você tem a liberdade de parar quando algo chama sua atenção, conhecer as pequenas ruas, praças, sentar para admirar algo, ver vitrines, tirar muitas fotos, enfim, vivenciar tudo de uma maneira intensa. Segue abaixo de forma resumida os meus percursos a cada dia:

1º dia: Coliseum, Palatino, Campidoglio, Via dei Fori Imperiali, Monumento a Vittorio Emanuele, Via del Corso, Fontana de Trevi, Piazza de Spagna.

2º dia: Manhã: Chiesa di Santa Maria Maggiore, Stazione Termini, Piazza della Republica, Chiesa di Santa Maria Degli Angeli, Chiesa di San Paulo entro le Mure, Teatro dell'Opera, Quattro Fontane, Quirinale. Tarde: Coliseum, Via dei Fori Imperiali, Piazza Venezia, Corso Vittorio Emanuelle, Pantheon, Piazza de San Giovanni in Laterano.

3º dia: Peguei o ônibus 64 (única vez que peguei um õnibus em Roma) até o fim da linha e fui andando até a Piazza San Pietro (Basílica, museu arqueológico e subida até a lanterna - em cima da cúpula (320 degraus)!!), Castel Sant'Angelo,

4º dia: ida à Napoles (de passagem) e em seguida Ischia.

5º dia: Basilica di San Giovanni in Laterano, Santuario della Scala Santa, Via Del Corso

Preparativos e chegada




Viajei para Itália com o propósito de aprender italiano e conhecer o país. A idéia surgiu quando meu filho Pedro adquiriu a cidadania italiana. Comecei a estudar italiano no ICIF (Instituto de Cultura Italiana de Fortaleza) e comecei a juntar informações sobre cursos na Itália e a ler sobre o país. Resolvi que iria após o término do curso de italiano (3 anos) e escolhi o mês de agosto por ser verão no hemisfério norte (sem o incômodo de chuvas, frio e roupas pesadas!). Escolhi fazer um curso classico de um mês no Instituto Italiano de Florença. Òtima escolha! Comprei uma passagem Fortaleza-Milão (TAM), de Milão à Roma (Easyjet) e um bilhete de trem Roma-Florença. Reservei um Hotel em Roma para uma semana e um quarto em um apartamento dividido com outras alunas, em Florença, durante um mês. Esta certamente seria a viagem de meus sonhos! Cheguei em Roma no dia 26/07/2010, às 22:50h, cansada e na maior expectativa.